???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/handle/tede/1014
???metadata.dc.type???: Dissertação
Title: Excesso de peso e esteatose hepática em crianças e adolescentes: variáveis clínicas e dietéticas, motivação para o tratamento e risco psicossocial familiar
Other Titles: Excess weight and fatty liver disease in children and adolescents: clinical and dietary variables, motivation for treatment and family psychosocial risk
???metadata.dc.creator???: Gomes, Maria Camila Buarraj 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Enumo, Sônia Regina Fiorim
???metadata.dc.contributor.referee1???: Hessel, Gabriel
???metadata.dc.contributor.referee2???: Bernardi, Júlia Laura Delbue
???metadata.dc.description.resumo???: A obesidade infantil é um problema de saúde pública, com prevalência crescente em todo o mundo. Além dos aspectos genéticos e ambientais associados, os fatores psicossociais e econômicos têm sido estudados por influenciar as opções alimentares e o estilo de vida. Entre as complicações da obesidade infantil, a esteatose hepática não alcoólica (EHNA) é uma importante causa de doenças hepáticas na infância, aumentando significativamente o risco cardiovascular nessa população. Atualmente, é considerada a manifestação hepática da síndrome metabólica. O tratamento da EHNA visa principalmente a perda de peso e um estilo de vida ativo; dependendo, portanto, da adesão às orientações dietéticas e às atividades físicas propostas. Nesse sentido, a motivação para o tratamento tem se mostrado fundamental. Este estudo identificou e analisou variáveis bioquímicas, antropométricas, dietéticas, psicossociais e de motivação e atitude para o tratamento, em crianças e adolescentes com sobrepeso e obesidade (SOB), em suas relações com o diagnóstico de EHNA. É um estudo prospectivo, transversal, descritivo e correlacional, com 45 crianças e adolescentes (5-17 anos), com diagnóstico de SOB pelos critérios da Organização Mundial de Saúde, sendo atendidos no Ambulatório de Obesidade Infantil de um hospital universitário de uma cidade do Estado de São Paulo. Foram aplicados individualmente, após a consulta de rotina no ambulatório: a) uma Ficha de Caracterização dos Participantes, com dados pessoais, familiares, antropométricos, dietéticos e exames laboratoriais, incluindo o ultrassom abdominal; b) Psychosocial Assessment Tool 2.0 (PAT 2.0), para avaliação do risco psicossocial familiar; c) quatro questões sobre a motivação e atitude em relação ao tratamento dietético e às atividades físicas. Foram aplicados os testes estatísticos: t-Student, Qui-Quadrado e teste exato de Fisher, com nível de significância de 5%. Apresentaram obesidade 82,2% da amostra. Houve prevalência de 33,3% da amostra com EHNA, os quais apresentaram significativamente maiores níveis de triglicérides, maior gravidade da obesidade diagnosticada pelo Escore-Z do Índice de Massa Corporal (IMC/Idade), maior circunferência da cintura e maior circunferência do pescoço. No aspecto dietético, os casos com EHNA apresentaram também maior ingestão de carboidratos em relação ao valor calórico total da dieta e menor ingestão de gorduras totais. No geral, essas crianças e adolescentes relataram consumo acima da recomendação de alimentos ultraprocessados e de alta densidade energética e consumo abaixo da recomendação de alimentos ricos em fibras e de baixa densidade energética. As famílias estavam em risco psicossocial em nível clínico (40,0%), especialmente nas áreas problemas da criança e estrutura familiar e recursos. As famílias dos participantes com EHNA também apresentaram significativamente maior nível de risco psicossocial (“clínico”). A prática de atividades físicas e a motivação para o tratamento não diferenciou os participantes com e sem EHNA. Embora 93,3% dos participantes tenham relatado estarem motivados para o tratamento, 72,7% reconheceram fazer “nada” ou “pouco” do que era proposto. Tais achados reafirmam a importância da compreensão do contexto familiar e da motivação e atitude para o tratamento como elementos norteadores para a equipe multidisciplinar, na definição de estratégias e condução do tratamento convencional da obesidade infantil e da EHNA.
Abstract: Childhood obesity is a public health problem, with increasing prevalence worldwide. In addition to the associated genetic and environmental aspects, psychosocial and economic factors have been studied by influencing dietary choices and lifestyle. Among complications of childhood obesity, non-alcoholic fatty liver disease (NAFLD), is an important cause of liver disease in childhood, significantly increasing cardiovascular risk in this population. Currently, it is considered the hepatic manifestation of the metabolic syndrome. The NAFLD treatment aims primarily weight loss and an active lifestyle; depending, therefore, on adhesion to dietary guidance and proposed physical activities. In this context, the treatment motivation is essential. This study identified and analyzed biochemical, anthropometric, dietary, psychosocial and motivational variables and attitude for treatment, in overweight and obese children and adolescents, in their relationship with the NAFLD diagnosis. This is a prospective, transversal, descriptive and correlational study with 45 children and adolescents (5-17 years old), diagnosed with excess weight according to the World Health Organization criteria, attending the Child Obesity Clinic of an university hospital in a city of São Paulo State. The following tools were applied individually after the routine medical appointment: a) A Characterization Record of the Participants, with personal, family, anthropometric and dietary data and laboratory tests, including abdominal ultrasound; b) Psychosocial Assessment Tool 2.0 (PAT 2.0), for the evaluation of the family psychosocial risk; c) four questions about the motivation and attitudes about the dietetic treatment and physical activities. Statistical tests were applied: t-Student, Chi-Square and Fisher's exact test, with a significance level of 5%. Obesity was observed in 82,2% of the sample. There was a 33,3% prevalence of NAFLD, of which showed significantly higher triglyceride levels, higher severe obesity diagnosed by Body Mass Index (IBM/Age) Z-score, greater waist circumference and greater neck circumference. The dietary aspects of the NAFLD patients also showed higher carbohydrate intake compared to total caloric amount of the diet and lower total fat intake. In general, these children and adolescents reported ultra-processed foods and high energetic density food intake above the recommendation and dietary fiber source and low energy density foods intake below the recommendation. Families were at clinical level psychosocial risk (40,0%), especially in areas of child problems and family structure and resources. The families of the NAFLD patients also had significantly higher levels of psychosocial risk ("clinical"). The practice of physical activities and the motivation for the treatment were not different among the participants with and without NAFLD. Although 93,3% of the participants reported being motivated for treatment, 72,7% acknowledged doing "nothing" or "little" of what was proposed. These findings reaffirm the importance of understanding the family context and motivation and attitude for treatment as guiding elements for the multidisciplinary team, when defining strategies and conducting the conventional treatment of childhood obesity and NAFLD.
Keywords: Obesidade Pediátrica; Esteatose Hepática; Fatores de risco; Motivação; Impacto Psicossocial
Pediatric Obesity; Fatty Liver; Risk Factors; Motivation; Psychosocial Impact
???metadata.dc.subject.cnpq???: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO::DIETETICA
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
???metadata.dc.publisher.initials???: PUC-Campinas
???metadata.dc.publisher.department???: CCV – Centro de Ciências da Vida
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Citation: Gomes, Maria Camila Buarraj. Excesso de peso e esteatose hepática em crianças e adolescentes: variáveis clínicas e dietéticas, motivação para o tratamento e risco psicossocial familiar. 2017. 129p. Dissertação( Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas-SP.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/handle/tede/1014
Issue Date: 6-Dec-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde - Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MARIA CAMILA BUARRAJ GOMES.pdf2.2 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.