???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/handle/tede/854
???metadata.dc.type???: Tese
Title: Vivências de trabalhadores da saúde frente à lógica capitalista: um estudo da Atenção Básica na Colômbia e no Brasil
Other Titles: Experiences of workers in health in front of the capitalist logic: a study of the basic care in Colombia and Brazil
???metadata.dc.creator???: Pinzón, Heidy Johanna Garrido 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Bernardo, Márcia Hespanhol
???metadata.dc.contributor.referee1???: Martínez, Hernán Camilo Pulido
???metadata.dc.contributor.referee2???: Souza, Vera Lucia Trevisan de
???metadata.dc.contributor.referee3???: Dias, Maria Dionísia do Amaral
???metadata.dc.contributor.referee4???: Lima, Liliana Aparecida de
???metadata.dc.description.resumo???: A presente pesquisa visa a analisar as vivências de trabalhadores dos Sistemas Públicos de Saúde da Colômbia e do Brasil, tendo-se em vista que esses dois casos ganham interesse de estudo por exemplificarem sistemas de saúde cujo surgimento se dá a partir de diretrizes opostas. Por um lado, tem-se a Colômbia que, dentre os países latino-americanos a sofrer a intensa crise econômica da década de 1980, foi aquele que incorporou de maneira mais rigorosa e sistemática os critérios centrais do modelo hegemônico das reformas sanitárias estabelecidos pelo Banco Mundial e pelo Fundo Monetário Internacional. Por outro, observa-se a situação do Brasil, que também experimentou a crise econômica, onde foi possível a criação do Sistema Único de Saúde (SUS), produto das exigências dos movimentos populares os quais conseguiram estabelecer a saúde como um direito de todos os cidadãos, legitimando-se na Constituição Federal de 1988. Toma-se em consideração, então, como nasce o SUS, num cenário neoliberal em meio da crise econômica de 1980, em oposição a tendências imperialistas que se caracterizavam pela busca de novos mercados no setor saúde, enquanto a Colômbia se subjugou totalmente a elas. Levando em conta esse contexto, o estudo aqui apresentado teve como objetivo compreender as vivências de trabalhadores da Atenção Básica dos Sistemas Públicos de Saúde da Colômbia e do Brasil, frente à lógica capitalista. Baseada no enfoque da Psicologia Social do Trabalho, esta pesquisa é de natureza qualitativa e de tipo empírico. Desenvolveu-se mediante a realização de entrevistas reflexivas em profundidade, com dois grupos de trabalhadores da Atenção Básica de nível assistencial e administrativo: um em Bucaramanga, Colômbia e, outro, em Campinas, Brasil. Para o processo de análise, elegeu-se utilizar a Análise de Conteúdo, a qual é compreendida como um conjunto de técnicas de pesquisa cujo objetivo é a busca do sentido ou dos sentidos manifestos nas mais diversas formas de comunicação. O percurso desta pesquisa revelou que, em ambos os países, as principais vivências dos profissionais da saúde, determinadas pela lógica neoliberal, estão relacionadas com as transformações introduzidas nas condições, relações e organização do trabalho. No contexto colombiano estudado, identificamos a origem das problemáticas centrais apresentadas pelos entrevistados no processo de transição induzido pela reforma que constituiu seu atual sistema de saúde. Essas problemáticas se traduzem, essencialmente, na deterioração das relações com os usuários, bem como na configuração das equipes de trabalho, marcadas pelo contraste entre pessoas com diferentes vínculos empregatícios. Esta última condição, empecilho para a coesão dos grupos de trabalho, também é observada no contexto brasileiro pesquisado, como produto da terceirização, que parece ter se tornado um efetivo mecanismo para enfraquecer o SUS, facilitar seu desmonte e colocá-lo no mesmo caminho atualmente percorrido pelo sistema de saúde colombiano. Por fim, expõe-se como, nos dois cenários estudados, tal panorama de precariedade do trabalho, permeado pela instabilidade, intensificação e sobrecarga laboral, pela redução de salários, dentre outros fatores, tem ocasionado graves consequências para a vida e a saúde dos trabalhadores, que se refletem na degradação de sua saúde física e mental, na falta de reconhecimento social, na deterioração da ética e da moral e nas restrições para a construção de um projeto de vida.
Abstract: The purpose of this research was to analyze the experiences of workers enrolled in the health systems of Colombia and Brazil, taking into account the interesting fact that these two health systems emerged from opposing guidelines. On one hand, among the countries which suffered the intense economic crisis of the 1980’s, Colombia was unified in the most rigorous and systematic model because of hegemonic sanitary controls required by the World Bank and the International Monetary Fund On the other hand, in Brazil, which also experienced the economic crisis, it was possible the creation of the Unified Health System (SUS – Portuguese acronym), as a product of demands of popular movements, managing to establish health as a right of all citizens, which was written into the Federal Constitution of 1988. Thus, the SUS was born in the midst of the economic crisis of 1980, in a neoliberal scenario, in opposition to capitalist tendencies which were characterized by the search for new markets in the health sector, a tendency completely adopted by Colombia. Given this context, the present study aimed to understand the common experiences of basic care workers in Colombia and Brazil, against the capitalist logic. Based on the Social Psychology of Work’s approach, this research is qualitative in nature and has empirical style. It was developed by analyzing reflexive interviews of two groups of workers belonging to healthcare and administrative sectors of the Basic Attention: one in Bucaramanga, Colombia and the other in Campinas, Brazil. Content Analysis was used for the analysis process, which is understood as a set of research techniques, which aims to find sense or senses manifested in more diverse forms of communication. In the course of this investigation it was revealed that, in both countries, the main experiences of the health professionals, determined by neo-liberal logic, are related to the transformations introduced in the labor conditions and relations, and also in the organization of work. In the Colombian context, we find that the main problems presented by those interviewed have their origins in the transition process introduced by those reforms which gave rise to its current health care system. Such problems are reflected, mainly, in the deterioration of relations with patients, as well as, in the detriment of the configuration of the work teams, forced to live divided by the stark contrast between different contractual relations. This condition, which eventually causes an inherent difficulty to generate cohesion within the working groups, also appears in the Brazilian context, as a result of outsourcing, which has come to constitute an effective mechanism to weaken the SUS, to facilitate its waning and to place it on a path pointing in the direction of the current Colombian health system. Finally, in the two studied stages, this panorama of job insecurity, permeated by instability, intensification of responsibilities and overworked employees, reduction in wages, among others, has generated major consequences to the life and health of the workers, which are reflected in the deterioration of their mental and physical health, in the lack of social recognition, the deterioration of ethics and morality, also in some cases, even in constraints for the construction of a life project.
Keywords: atenção básica em saúde; neoliberalismo; precarização no trabalho; privatização; reformas sanitárias; saúde mental relacionada ao trabalho; SGSSS; SUS
basic health care; neoliberalism; casualization of labor; privatization; health reform; work-related mental health; SGSSS; SUS
???metadata.dc.subject.cnpq???: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Pontifícia Universidade Católica de Campinas
???metadata.dc.publisher.initials???: PUC-Campinas
???metadata.dc.publisher.department???: CCV – Centro de Ciências da Vida
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Citation: Pinzón, Heidy Johanna Garrido. Vivências de trabalhadores da saúde frente à lógica capitalista: um estudo da Atenção Básica na Colômbia e no Brasil. 2016. 195 p. Tese (Programa de Pós-Graduação em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, SP.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/handle/tede/854
Issue Date: 29-Feb-2016
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Psicologia - Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Heidy Joahanna Garrido Pinzon.pdfTese1.87 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.